Educação

Como funciona a Fuvest? Inscrição e como é a prova do vestibular

A Fuvest (Fundação Universitária para Vestibular) é uma instituição autônoma brasileira ligada à Universidade de São Paulo, responsável por seus exames vestibulares, em alguns casos até por concursos da região de São Paulo e outros estados. Por essa razão, o vestibular da USP é geralmente chamado de “Fuvest”, também pode ser considerado um dos mais concorridos e difíceis de passar em todo o país. Afinal, ela que está nos melhores rankings também tem as melhores chances de incentivo à pesquisas.

Como funciona o vestibular da Fuvest?

O exame da FUVEST é considerado pela maioria como o exame vestibular mais competitivo e exigente, apenas rivalizado pelo vestibular para o Instituto Tecnológico da Aeronáutica. Todos os anos, uma média de 160.000 candidatos fazem seus exames, que geralmente duram vários dias. A data da inscrição Fuvest 2021 ainda não foi divulgada em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), mas tudo indica que as datas de janeiro e julho serão mantidas, respectivamente para o primeiro e segundo semestre letivo.

Para participar da prova e garantir a aprovação da inscrição é preciso pagar a taxa de inscrição, que fica na base de R$ 80,00 a R$ 200,00 dependendo da prova – afinal, a Fuvest oferece inscrição para vestibulares para mais de uma universidades e instituições.

Por lei, ela oferece a isenção da taxa de inscrição seguindo as regras:

  • Candidatos devem comprovar renda familiar bruta de até 1,5 salários mínimos referentes ao Estado de São Paulo;
  • Vestibulares com renda individual de até 2 salários mínimos e desempregados;
  • Pessoa com rendiento mensal de 1,5 a 3 salários mínimos por pessoa da família.

Prova Fuvest

Como funciona a prova da Fuvest?

A Prova da Fuvest é feita em duas etapas, assim como acontece com o ENEM.

Primeiro dia de prova

A primeira parte consiste num teste de 90 perguntas de escolha múltipla, realizado por todos os candidatos (apelidados de vestibulandos em português) no final de novembro, ou início de dezembro. Eles têm 5 horas para responder às perguntas sobre os seguintes assuntos: língua portuguesa e literatura brasileira/Portuguesa, Matemática, Física, Química, Biologia, Geografia, História e língua inglesa. Como existe um tempo entre a priemira e a segunda etapa já é possível conferir o gabarito da primeira prova antes de inciar a segunda, ali também se saberá alguma marca sobre a nota de corte, o que te dirá se você atingiu pontos o suficiente para ir para a segunda etapa da prova. Os candidatos que marcam menos de 22 pontos ou zero em qualquer assunto são automaticamente desqualificados.

Segundo dia de prova

A segunda parte é geralmente realizada no início de Janeiro e consiste em até quatro exames. O exame português é exigido a todos os candidatos, assim como um exame sobre todos os assuntos. Os exames necessários restantes (no terceiro dia desta segunda parte) diferem dependendo do major pretendido do candidato, geralmente com foco em temas mais difíceis ou específicos.

Provas específicas

Por exemplo, potenciais estudantes de engenharia são testados em Matemática, Física e química, enquanto que os candidatos da Faculdade de Direito têm que fazer exames de História, Geografia e Matemática, e os candidatos da Faculdade de medicina são examinados em Física, Química e Biologia. O exame de Língua Portuguesa inclui, para além das perguntas de ensaio, um ensaio escrito pelo estudante. No formato atual, os candidatos fazem apenas um exame por dia durante um período de três ou quatro dias. Alguns alunos também exigem exames específicos: os candidatos para Arquitetura, Design e Artes devem participar de tais testes.

Além disso,  a universidade aplica o critério de que os candidatos que só frequentaram o ensino médio público recebem mais 12% em suas pontuações finais na primeira e segunda partes, possivelmente para compensar a baixa qualidade geral da Educação Básica pública brasileira.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *